Buscar

E o que você tem feito para mudar isso?

Hoje resolvi escrever um post que trata sobre a questão dos "menores", após ver o filme incrível chamado "Escritores da Liberdade", por favor vejam e aproveitando o momento, indico também o belíssimo filme "O contador de Histórias", uma produção brasileira. Os dois filmes deveriam ser obrigatórios para educadores e psicólogos.


Ambos são baseados em histórias reais, o primeiro em relação a jovens americanos considerados "perdidos" e o segundo, conta a história de um menino de rua que foi interno da FEBEM e considerado irrecuperável. Nos dois fatos reais comprova-se que se existe um acolhimento real, muitos desses casos considerados irrecuperáveis, acontece exatamente o "milagre" da recuperação.E isso se dá, com a atitude de pessoas que acreditam no potencial humano- "Com Amor e coragem, nada deve parecer impossível de mudar."


Esses filmes me tocaram muito, porque trabalho como voluntária há alguns anos em um abrigo (antigamente o termo institucional era orfanato), um local que tem aproximadamente 120 crianças, de 0 a 17 anos, que passaram por todo tipo de traumas na vida, muitos desde o período de desenvolvimento gestacional, até serem "resgatados" de seus familiares ou das ruas. E o trabalho que os voluntários (psicólogos e pessoas de outras áreas) fazem com essas crianças é algo que as beneficia humanamente de uma forma incrível, pena que somos poucos para a grande demanda de crianças precisando desse acolhimento em centenas de instituições no país; esse assunto específico daria um outro post -(no final indicarei projetos bacanas que trabalham com instituições do tipo).


Muitas dessas crianças crescem em famílias problemáticas (por questões sociais-emocionais diversas), e ao chegarem em muitas destas instituições que deveriam acolhê-las de fato, com profissionais capacitados (o que infelizmente não acontece na realidade em muitos lugares) e ambiente agradável (outro problema grave); elas são tratadas como um problema social, e isso não se resume só nos abrigos, o mesmo despreparo há em muitas escolas nas quais essas crianças estudam. Sei que essa questão é atravessada por esferas históricas, sociais e governamentais, mas como educadora e psicóloga, acredito que nosso dever é o de "lutar" pela mudança desse paradigma e de ir contra esse sistema desumano, visto que, enterram as poucas possibilidades de mudança desses sujeitos.


Semana passada saiu uma reportagem no Fantástico, eu não costumo ver TV, mas me chamaram, pois é um assunto que me interessa e ao ver  a reportagem sobre a "Fundação Casa" em São Paulo, com cenas fortes de jovens infratores sendo torturados, só constatei que nada mudou ou muito pouco;  a tal presidente da Fundação teve a "cara de pau" em dizer que desconhecia as agressões sofridas por seus internos...


No facebook vi muita gente defendendo as agressões, confesso que fiquei surpresa e chocada,  ao ver alguns professores e psicólogos indignados com o dinheiro público que é investido nesses "perdidos", "bandidos" etc. (Obs: boa parte que eles dizem investir, perde-se no meio do caminho para bolsos engravatados).


Primeiramente, não defendo bandidos, mas CONDENAR todas as crianças de 07 a 17 anos que estão nestas instituições  como "casos perdidos", generalizar o TODO (crianças)  por algumas poucas "partes" (que de fato pode sim ter  "alguns casos perdidos") é preocupante; e quando psicólogos e educadores não sabem observar o "Todo" em que estes sujeitos estão inseridos, mas apenas veem uma parte do problema e  os condenam sumariamente,  é  muitíssimo mais preocupante, grave, triste, revoltante e angustiante; ainda mais, quando esse argumento parte de um psicólogo(a) que é ou deveria estar capacitado para observar "Além do que se vê".


Não é raro acontecer agressões físicas e /ou psicológicas nessas instituições despreparadas, que contratam funcionários por empresas terceirizadas (ONGs) - escolha muitas vezes feita na "mutretagem", por exemplo: o prefeito X tem um amigo Y que quer ganhar uma grana alta às custas de dinheiro público, Y cria uma ONG e a merda está feita. Ou seja, em muitos desses acordos comerciais, sim é um comércio entre pessoas inescrupulosas,  não existe ética, moral, valores humanos etc;  não buscam ONGs com valores reais de trabalhar em prol da sociedade. Sabemos que esse tipo de prática "suja" acontece em outros meios, por que acham que nessa área seria diferente?


Então, o que temos? Se não há ética real , conclui-se que não querem de fato "resgatar" esses jovens, pois são fonte de altos lucros para os envolvidos nesse negócio sujo. Não investem na capacitação de funcionários que lidarão com esses menores, há muita barganha também nessas contratações;estas crianças e jovens que deveriam ter uma oportunidade REAL de serem "resgatadas", são condenadas pelo sistema, pelo governo e pela sociedade como bandidos, casos perdidos etc.


Vamos desenhar um mapa mental :

1) Criança cresce em um meio familiar e social pobre, altamente violento e conturbado;

2) Criança vai para as ruas ou se envolve em criminalidades leves, a maioria por furtos e drogas; estatisticamente poucos são por genocídio na primeira vez de internação, ou seja, quando alguns cometem esse tipo de crime já estão maiores, anteriormente passaram por outros crimes e internações nessas instituições;

3)Crianças e Jovens que cometeram crimes com ou sem mortes vão para essas instituições nas quais a proposta em teoria é de acolhimento e educação - "resgatá-los" para a sociedade, pois a família não teve a capacidade ou meios de cumprir tal objetivo.



O que acontece na realidade?

Ele(a)s são colocados nessas instituições e são tratados piores que animais, pois animais domésticos são bem melhores tratados (seja carinho, atenção etc) do que esses seres humanos, que ainda estão na fase de desenvolvimento físico-cognitivo e portanto, possíveis de serem resgatados em muitos casos - você que estuda psicologia sabe bem disso.


O que acontece nessas instituições é apotencialização do ódiodesses internos devido as agressões covardes (psicológicas e físicas) que sofrem dos funcionários despreparados, sem esquecer que estes sujeitos já trazem uma bagagem de sofrimento emocional da vida .

Ou seja, em vez de acolher, potencializa o ódio e em vez de educar, criam-se marginais.


Como que essa PARTE (menores infratores) afeta o TODO (sociedade)?


"Dai amor e receberá Amor", mas o que eles recebem ?

Desvalor, estigmas, ódio e indiferença do governo, do sistema e da sociedade; e quando alcançarem a maioridade, irão retornar para as ruas com toda raiva pelo Mundo que só lhes deu isso, e agora pergunto, temos como condená-los de verdade, do fundo do nosso coração, por saírem as ruas cometendo crimes quando jovens ou adultos?


A sociedade (Você, eu, seu vizinho... TODOS) tem que exigir do governo uma sistema socioeducativo de fato (pois isso ainda não existe!), o que vejo são alguns ignorantes pregando em alto e bom som que deve-se prender na cadeia ou  matá-los; não se esqueçam que são crianças e merecem uma real oportunidade, coisa que eles não tem ou tiveram (na maioria dos casos) por culpa do governo (que rouba milhões e finge tentar fazer algo que não faz) como também pela OMISSÃO da sociedade.


E o que você tem feito para mudar isso?

Reclamar , se lamentar não adianta!

Rezar não adianta, só alivia a própria culpa de que está fazendo algo, sendo que rezar não tira fome do mundo ou dá educação para essas crianças; tira sim a responsabilidade de sí colocando na conta de Deus ou algo do tipo.

Quando que todos nós vamos assumir as responsabilidades reais que temos? 

Sonham com uma sociedade mais justa, mas o que fazem para isso acontecer?

Justificativas como, sou honesto e pago meus impostos em dia não cola mais, deveria ser suficiente fazer isso? Sim deveria, mas não é! Nossa omissão ajuda os ladrões engravatados que estão no comando de tudo isso e adorando a vampirização que cometem em todos nós.

Mais uma vez pergunto, o que você tem feito para mudar isso? Que mundo você quer deixar para seu filho?



E nóspsicólogos, educadores e sociedadeno geral temos que parar de jogar pedras nessas crianças e jovens, começar a  exigir do governo que cumpra o seu papel, como tambémestar presentes sendo fiscais do que acontecem nesses locais- Trabalho voluntário é ótimo para ajudar em três esferas: o sujeito, a sociedade e você.


Se todos queremos que nossa sociedade seja mais segura e com o minimo de qualidade de vida para você, seus filhos e netos, é bom sair da redoma do meio familiar e se mobilizar, trazer para a vida pessoal e profissional essa missão social. Me questiono, como que alguns pais podem condenar crianças a "morte" tendo filhos; eu não tenho filhos,  mas sempre que vejo crianças nas ruas ou em abrigos sempre penso que aquela criança poderia ser meu filho ou sobrinho ou filho de um amigo. Mas o que vejo na maioria das pessoas é uma postura de pena (mas nada fazem) ou repulsa e/ou condenação por eles existirem- Será porque esfregam na cara de todos que o mundo não é essa maravilha que se mostra nas novelas das 20h? Ou por que nos chama para a nossa responsabilidade diante de tal realidade? Elas não pediram para nascer e quem pediu para nascer nesse mundo? É justo tal condenação dessas crianças por crimes nas quais elas foram vitimas de terem nascidos em um meio injusto?




Eu ou você não temos como salvar o Planeta em um passe de mágica, nem como salvar todas as crianças das maldades criadas pelas pessoas no mundo, mas ao ajudar uma criança eu estou salvando o Mundo daquele sujeito, logo, é uma parte que está sendo inserida ou resgatada para o nosso TODO. Se cada um que reclama fizesse algo de fato, a realidade para muitos "Mundos" seria diferente e no final, veríamos que o TODO (sociedade) estaria bem melhor do que lamentavelmente vemos hoje.


Esse dois filmes são dois exemplos famosos de casos reais, e espero que as pessoas acordem e vejam que as coisas só serão possíveis de serem mudadas, somente,  quando Nós quisermos e não depender, exclusivamente, que o governo faça algo ou que Deus surja fazendo um milagre, porque isso não vai acontecer!


Obs: Muitas pessoas ajudam doando bens materiais que são essenciais, mas as crianças que vivem nestas instituições são extremamentes carentes de referência e amor fraternal, amizade e acolhimento. 


Bem , conforme prometido, segue site de projetos incríveis, existem outros, mas estes conheço melhor e trabalho como voluntária no FMH :


http://www.fazendohistoria.org.br

http://www.quintaldeana.org.br

http://www.vivaedeixeviver.org.br]



Postado originalmente: http://danielelopespsi.blogspot.com/2013/08/e-o-que-voce-tem-feito-para-mudar-isso.html

©2020.  Psicologia e outras terapias All rights reserved.